Notícias do Front

Disputa no campo da Propriedade Intelectual: Google paga US$ 12,5 bi pela Motorola
16/08/2011 / Naiana Oscar - O Estado de São Paulo

 

Google paga US$ 12,5 bi pela Motorola

É a maior aquisição do gigante da internet, que deixa de ser apenas uma empresa de software para atuar também na fabricação de aparelhos

O gigante da internet Google anunciou ontem a aquisição da fabricante de celulares Motorola Mobility, por US$ 12,5 bilhões (ou cerca de R$ 20 bilhões) - quantia 63% superior a seu valor de mercado. Como não havia nenhum indício de que isso pudesse acontecer, o negócio surpreendeu o mercado ontem pela manhã. Com a compra, o Google deixa de ser apenas uma empresa de software para atuar também no mercado de hardware, com a fabricação de aparelhos.

Essa foi a maior aquisição já feita pelo site de buscas, habituado a comprar empresas em fase nascente, as chamadas start-ups. Aprovada por unanimidade pelos conselhos administrativos das duas companhias, a operação ainda terá de ser aprovada pelos órgãos reguladores. As empresas esperam concluir a aquisição entre o fim de 2011 e o início de 2012.

Segundo analistas de mercado, o negócio faz sentido para as duas empresas. "A Motorola, que já esteve no topo da liderança na venda de celulares, vem perdendo mercado bruscamente nos últimos anos e hoje ocupa a oitava posição", afirma Eduardo Tude, analista da consultoria Teleco. Ultrapassada por concorrentes como Nokia, Apple e RIM (fabricante do BlackBerry), o grupo Motorola vem se estruturando para vender sua divisão de celulares há dois anos.

Para o Google, o negócio é interessante por dois fatores: é um impulso ao seu frágil portfólio de patentes e uma forma de proteger seu sistema operacional Android, usado atualmente por 39 fabricantes de celulares inteligentes (smartphones). Com o negócio, a gigante da internet somará a seu portfólio 17 mil patentes da fabricante de celular. "A aquisição da Motorola vai aumentar nossa competitividade por meio do reforço à carteira de patentes do Google", disse o CEO da empresa, Larry Page.

A disputa no campo da propriedade intelectual se intensificou este ano. No início do mês, o Google acusou seus concorrentes - Microsoft, Oracle e Apple - de formarem uma "gangue" para dificultar o uso do Android. Apple e Microsoft haviam acabado de comprar as patentes da Novell e da Nortel e querem cobrar uma taxa por aplicativo instalado no sistema operacional do Google, colocando em risco a gratuidade do Android. Juntas, as duas empresas, aliadas a outras companhias do setor, compraram 6 mil patentes.

O que o mercado ainda não sabe é como as demais fabricantes de celulares vão reagir ao negócio. A Samsung, por exemplo, é uma grande usuária do sistema Android. "Isso pode gerar uma desconfiança no setor", diz Thiago Moreira, gerente regional de produtos da Nielsen Telecom Practice Group.

"Em vez de parceiro, o Google pode passar a ser visto como concorrente." Ontem, durante o anúncio do negócio, o Google garantiu que o Android, presente em 43% dos smartphones no mundo, permanecerá aberto a todos os fabricantes.

 

Fonte: O Estado de São Paulo