Notícias do Front

Marcas: Justiça mineira concede liminar que impede uso da marca "Marietta"
23/05/2011

 

Marca

Justiça mineira concede liminar que impede uso da marca "Marietta"

O juiz de Direito Raimundo Messias Júnior, da 3ª vara Cível de Belo Horizonte/MG, deferiu liminar determinando que dois empresários se abstenham de utilizar a expressão "Marietta" para assinalar a prestação de serviços alimentícios. O pedido à Justiça foi feito pelos proprietários da marca "Marietta Sanduíches Leves".

Segundo os autores da ação, a marca "Marietta" foi utilizada para a oferta de pizzas em um site de compras coletivas. A semelhança do nome utilizado levava os consumidores a pensarem estar adquirindo um produto com a qualidade da marca "Marietta Sanduiches Leves". Ainda segundo os autores, a incapacidade em atender a grande demanda gerou insatisfação dos compradores, que acabavam reclamando nas lojas "Marietta Sanduiches Leves", pensando ser este estabelecimento o responsável pela compra coletiva.

Para comprovar a propriedade da marca, os autores da ação juntaram no processo registro no INPI - Instituto de Nacional de Propriedade Industrial do nome "Marietta" na categoria serviço de lanchonete, de buffet, confeitaria e café. "Assim, a atividade exercida pelos dois primeiros réus – comercialização de pizzas, sob o nome "Marietta Pizzaria" – implica usurpação de marca, a confundir os consumidores", disse o magistrado.

Os réus contra argumentaram dizendo que estavam promovendo, também junto ao INPI, o registro do nome "Marietta Pizzaria", na classe que designa serviços de propaganda, gestão de negócios, administração de negócios e função de escritório. O que, segundo o magistrado, "demonstra claramente o propósito de burlar o sistema de registro junto ao INPI".

O magistrado afirmou que as autoras da ação, proprietários da marca "Marietta Sanduíches Leves", comprovaram que a demora em paralisar a utilização do nome "Marietta" poderia trazer riscos à imagem da marca, que está presente no mercado há 12 anos.

A determinação do juiz Raimundo Messias Júnior restringe-se a proibição do uso da expressão "Marietta" pelos réus para a comercialização de produtos. Outros pedidos dos autores serão apreciados no final do processo. Fixou-se multa diária de R$ 10 mil caso não haja o cumprimento da decisão.

  • Processo : 0024.11.125004-9

 

Fonte: Migalhas