Notícias do Front

Paulo Coelho não recebe direitos autorais por livros vendidos no Irã
11/01/2011 / Guilherme Freitas

Irã veta livros de Paulo Coelho

Escritor brasileiro denuncia censura pelo governo, e editor iraniano alega perseguição

O escritor Paulo Coelho anunciou ontem em seu blog

Informada sobre o caso durante uma visita a projetos do governo federal no complexo do Alemão ontem, a ministra da Cultura, Ana de Holanda, disse considerar qualquer tipo de censura "lamentável". Ela anunciou que conversaria com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, sobre a situação de Coelho. O presidente da Funarte (Fundação Nacional de Artes), Antonio Grassi, que acompanhou a ministra na visita, classificou a decisão iraniana de "absurda".

Autor permite e-books gratuitos

Coelho agradeceu as manifestações de apoio do governo brasileiro e disse ter recebido diversas mensagens de solidariedade de leitores iranianos pelo Twitter ao longo do dia. Para contornar a proibição, o escritor autorizou seu editor a distribuir os títulos gratuitamente pela internet no formato de e-books (de todo modo, Coelho não recebe direitos autorais pelos livros vendidos no Irã, pois o país não é signatário da Convenção de Berna, que regula a propriedade intelectual de obras artísticas). Hejazi acredita que a internet pode ser uma ferramenta importante nesse caso:

- Coelho é um dos autores mais vendidos no Irã e já recebi muitas mensagens de leitores perguntando sobre a proibição. Comercializar e-books ainda não é possível no país, pois o Irã não está conectado aos sistemas bancários e crediários internacionais. Mas se colocarmos os livros à disposição dos leitores, de graça, centenas de milhares de pessoas vão baixá-los. Apesar dos filtros na Internet, a população iraniana tem nela um meio de comunicação vital - observa Hejazi.

O editor minimiza o fato de o governo iraniano não ter se manifestado oficialmente sobre a proibição dos livros de Paulo Coelho. Hejazi lembra que, no mercado editorial, o controle governamental se dá sobretudo através das "Permissões de Pré-Publicação", uma sanção emitida pelo Ministério da Cultura e Orientação Islâmica para as editoras apenas depois de um minucioso escrutínio de cada obra.

- Nenhuma censura no Irã é oficial. Tudo é comunicado verbalmente, pois a censura contraria as obrigações internacionais do país. Apesar do controle rígido da mídia impressa e online, o governo sempre negou praticar qualquer tipo de censura, especialmente o sistema de Permissões de Pré-Publicação para os livros. A implementação de um sistema tão complexo, que garante que nenhuma ideia desagradável para o sistema alcance o público e ao mesmo tempo não deixa rastros disso, faz com que seja difícil até mesmo provar que isso é um ataque à liberdade de expressão.

 

Fonte: Agência O Globo