O YouTube continuou a ampliar o seu domínio no mercado norte-americano de vídeos on-line, com uma distância gigantesca para seus demais competidores.

Em abril, os sites do Google (liderados pelo YouTube) representaram 43,2% dos vídeos vistos pelos internautas americanos, um aumento de 1,4 ponto percentual em relação ao mês anterior.

  Reprodução  
YouTube anunciou na noite de domingo que superou a marca dos 2 bilhões de vídeos vistos diariamente
Sites do Google (liderados pelo YouTube) representaram 43,2% dos vídeos assistidos

Isso significa que, levando em conta apenas o mercado dos EUA, 13,1 bilhões de vídeos foram vistos no sites da empresa americana em um mês, segundo levantamento da consultoria ComScore.

Para ter uma ideia da vantagem do YouTube, o segundo colocado em abril foi o Hulu, com 3,2% de participação de mercado dos Estados Unidos, o equivalente a 958 milhões de vídeos vistos.

O Hulu, criado em 2007 por grandes redes de TV americanas (NBC, ABC e Fox) e especializado em séries, é uma espécie de contra-ataque dessas empresas ao YouTube, que é acusado de não respeitar direitos autorais.

Os sites de vídeos do Google, além de serem os mais vistos, são os que mais atraem consumidores. Foram 136 milhões de visitantes únicos no mês passado.

Essa relação (entre número de visitantes e total de vídeos vistos), apesar de parecer óbvia, nem sempre se concretiza. Os sites de vídeos do Yahoo! são o segundo que mais recebem visitantes únicos nos EUA, mas aparecem em quinto lugar no total de vídeos vistos.

Isso ocorre porque os internautas não ficam muito tempo nos sites do Yahoo!: cada visitante olhou em média 7,5 vídeos em abril. No YouTube, a média é de 96 vídeos, e, no Hulu, de 24,7.

Apesar do sucesso, o YouTube, comprado em 2006 pelo equivalente na época a US$ 1,65 bilhão, ainda não se tornou lucrativo. O presidente-executivo do Google, Eric Schmidt, disse em janeiro que espera que o site comece a gerar lucro neste ano.